A sustentabilidade via controles estratégicos dos custos ambientais

  • Valerio Vitor Bonelli PUC-SP
  • Antonio Robles Jr PUC-SP e FEA/USP

Resumo

O objetivo do presente artigo esta fundamentado na necessidade da implantação de um sistema de apuração dos custos ambientais em uma organização, demonstrar a necessidade de uso dos relatórios como ferramenta aos gestores para acompanhamento do comportamento destes custos sempre visando a melhoria contínua e a excelência na qualidade total. O sistema de custos proposto toma por base a contabilidade por atividades, tendo em vista propiciar informações aos gestores e colaboradores, facilitando e motivando a tomada de decisões mais corretas dentro do atual ambiente, de um lado mais competitivo, porém de outro lado mais responsável com a preservação do meio ambiente rumo à sustentabilidade empresarial. Propõe a definição de um Sistema de Informações Ambientais Gerenciais (SIAG), monitorado pela Controladoria da empresa.

 

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorando em Ciências Sociais pela PUC/SP,  Mestre em Controladoria e Contabilidade Estratégica pela Fecap/Facesp, graduadoem Ciências Contábeis, Administração de Empresas, com Pós-graduação em Finanças,  Membro da ABC- Associacão Brasileira de Custos.  Professor Universitário na PUC/SP.  Co-autor do livro Gestão da Qualidade e do Meio Ambiente: Enfoque Econômico, Financeiro e Patrimonial, pela Editora Atlas. 

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor e Mestre em Contabilidade e Controladoria pela Universidade de São Paulo; Autor dos livros: Custos da Qualidade – Uma Estratégia para a Competição Global, Custos da Qualidade – Aspectos Econômicos da Gestão da Qualidade e da Gestão Ambiental e Co-autor dos livros: Alquimia de uma Corporação – A Magia de um Treinamento e Contabilidade de Custos: Temas Atuais. Professor na USP  e no programas de Graduação e de Pós-Graduação Mestrado na PUCSP. Coordenador do curso de Ciências Contábeis da PUCSP. Assistente Doutor da Universidade de São Paulo,  Avaliador de IES e cursos do INEP.

Referências

AZAMBUJA, M., O Brasil e a Cidadania Empresarial, Jornal Valor, 20 de abril de
São Paulo, 2001.
BARRETO, M. G. P.,. A simplicidade de um sistema de custos da qualidade.
Anais do VI Congresso Brasileiro de Custos, São Paulo, 1995.
BERGAMINI JUNIOR, S.,. “Custos emergentes na Contabilidade Ambiental”
Revista Pensar Contábil – Edição Especial da 50º Convenção dos
Contabilistas do Rio de Janeiro, Out/2000
BERGAMINI JUNIOR, S.,. “Custos e Riscos Ambientais” Seminário de
Contabilidade Ambiental auditório do BNDES dias 5 e 6 – Nov/98.
BONELLI. V.V., ROBLES JR, A . Gestão da qualidade e do meio ambiente:enfoque econômico financeiro e patrimonial . São Paulo: Atlas, 2006
BORNIA, A, C. Mensuração dos Desperdícios. Anais do VII congresso internacional
de Custos, Leon-Espanha, 2001.
BRIMSON, J.,.Contabilidade por Atividades: Uma abordagem de custeio baseado em
Atividades.São Paulo:Atlas, 1996
CHRISTOFOLETTI, A, Modelagem de Sistemas Ambientais, Editora Blücher, 2000
CROSBY, P. B., Qualidade é Investimento.5ed.Rio deJaneiro;José Olympio, 1979
CRC SP Conselho Regional de Contab. São Paulo. “Passivo Ambiental” XIII – Ciclo de
Palestras CRC – SP e Ibracon, Pricewaterhouse e Cooopers- Dez/1999
DONAIRE, D.,.Gestão Ambiental na empresa, São Paulo:Atlas, 1995.
FURLAN, J. D., Modelagem de Negócio, Makron Books, São Paulo, 1997.
LERENA BELLO, L.; CARRAZZANA A, T., Los Costos de La Calidad como
Herramienta de la dirección. Anais do VII congresso internacional de Custos, Leon-Espanha, 2001 .
MOURA, J. A. M.. Os frutos da qualidade – A experiência da xerox do Brasil: São Paulo: Makron Books, 1994.
MOURA, L. A, A.,. Economia Ambiental: Gestão de Custos e Investimentos, São Paulo: Ed.Juarez de Oliveira, 2000.
PORTER, M,l E. Vantagem Competitiva. Rio de Janeiro;1989.
REIGOTA, M.. “Meio Ambiente e Representação Social” Ed. Corte: São Paulo, 1995.
RIBEIRO, M. S., Contabilidade e Meio Ambiente. Dissertação de Mestrado
Apresentada à FEA/USP.São Paulo.1992.
RIBEIRO, M. S.,. Custeio das Atividades de Natureza Ambiental, Tese de
Doutorado apresentada à FEA/USP.São Paulo.1998.
ROBLES JUNIOR, A,.Custos da Qualidade – uma estratégia para a competição
global;Atlas, 1994.
ROBLES JUNIOR, A; BONELLI, V. V, Apuração dos Custos da Qualidade e dos Custos Ambientais Através da Contabilidade Baseada em Atividades, ENANPAD/ 2001.
VALLE, C. E., Como se preparar para as normas ISO 14.000:Qualidade
Ambiental: O Desafio de ser competitivo protegendo o Meio Ambiente.3ªed.São
Paulo:Pioneira, 2000.
ZARDO, L. M. P., A importância dos custos da qualidade na gestão
Empresarial. Anais do VI Congresso Brasileiro de Custos, São Paulo, 1999.
Publicado
2012-12-25
Como Citar
BONELLI, Valerio Vitor; ROBLES JR, Antonio. A sustentabilidade via controles estratégicos dos custos ambientais. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, n. 10, p. 155-170, dec. 2012. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/128>. Acesso em: 22 jan. 2020. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i10.128.

Palavras-chave

Sustentabilidade; Custos Ambientais; Melhoria Contínua