PERCEPÇÃO DE TRABALHADORES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A RESPEITO DA LISTA DE MELHORES PARA SE TRABALHAR

  • Regiani Silva PUC-SP
  • Mauro Laruccia

Resumo

O presente artigo analisa a percepção dos trabalhadores de empresas de tecnologia sobre as listas de melhores empresas para se trabalhar, além de discutir a atração e novas práticas de retenção de talento. Especificamente na área de tecnologia, as organizações vêm apresentando alternativas diferenciadas para atrair os melhores funcionários e mantê-los engajados por mais tempo.                  

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Bacharel em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2014), mestranda em Administração na linha de pesquisa: organizações e sociedade na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente trabalha no departamento de recursos humanos de uma multinacional de tecnologia especializada em software. Tem 6 anos de experiência na área de RH, sendo que as principais vertentes de atuação são: treinamento e desenvolvimento, recrutamento e seleção e administração de benefícios.

Mauro Laruccia

Bacharel em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1983), mestre em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997), Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002) e Pós-doutor em analise do Ethos discursivo da inovação e sustentabilidade nas organizações (2012). Atualmente é professor da FEA/PUCSP, das Faculdades Integradas Campos Salles, Servidor da FUNDACENTRO do Ministério do Trabalho e Avaliador Ad Hoc do INEP/MEC e CEE/SP. Tem experiência em gestão empresarial e atua principalmente nos seguintes temas: administração, organizações, educação, comunicação, tecnologias da informação, marketing e estratégia empresarial.

Referências

AS 135 MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR. São Paulo: Editora Globo, n°19. Ago. 2015.
BURCHELL, MICHAEL E ROBIN, JENNIFER. A Melhor Empresa para Trabalhar. Bookman 2012.
GREAT PLACE TO WORK BRASIL (2016), disponível em www.greatplacetowork.com.br. Acesso em Mar 2016.
FRANÇA, A. C. LIMONGI. Qualidade de vida no trabalho: conceitos, abordagens, inovações e desafios nas empresas brasileiras. Revista Brasileira de Medicina Psicossomática. Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 79-83, 1997.
HALL, D. T. Protean careers of the 21st century. Academy of Management Executive. Nov. 1996.
HEZBERG, Frederick. The motivation to work. New York: John Wiley and Sons, 1959.
HITT, Michael A., MILLER, C., COLELLA A. Comportamento Organizacional: uma abordagem estratégica. Primeira edição, LTC: Rio de Janeiro, 2007.
MAYO, Andrew. O valor humano da empresa: valorização das pessoas como ativos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2003.
NADLER, David A.; LAWLER, Edward E. Quality of work life: perspectives and directions. Organizational dynamics, v. 11, n. 3, p. 20-30, 1983.
PARRY T. Correlação entre cultura de saúde e desempenho no trabalho. Ideia Sustentável. ; 10(37): 46, 2014.
VASCONCELLOS, Eduardo; HEMSLEY, James R. Estrutura das organizações: estruturas tradicionais, estruturas para a inovação, estrutura matricial. Cengage Learning Editores, 1997.
Publicado
2016-07-09
Como Citar
SILVA, Regiani; LARUCCIA, Mauro. PERCEPÇÃO DE TRABALHADORES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A RESPEITO DA LISTA DE MELHORES PARA SE TRABALHAR. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, n. 17, p. 339-347, july 2016. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/318>. Acesso em: 23 sep. 2020. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i17.318.

Palavras-chave

lista melhores empresas, atração, retenção