Estigmatização de Alunos com Altas Habilidades

  • Rafael Annunciato Neto Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas Santa Rita de Cássia

Resumo

Os indivíduos com altas habilidades/superdotação em geral são cobrados pelo sucesso escolar. Fardo de um estigma adotado pela cultura escolar e que pode em muitos casos causar um desconforto e constrangimento, pois um indivíduo alto habilidoso/superdotado, possui normalmente habilidades em áreas específicas. Contextualizar o estigma é complexo pois suas marcas não estão associadas ao fracasso, esta condição é explicada por GOFFMAN (2004) como desacreditáveis, pois, para a escola apresentam capacidades não percebidas/desconhecidas, levando a não acreditar no potencial do indivíduo. Está condição segundo RANGNI e COSTA (2014) contribui para que disfarcem a sua condição, apresentando resultados normais, abaixo do seu potencial. Segundo GOFFMAN (2004) é um acobertamento, onde o estigmatizado passa a ser invisível. Este processo cria marcas que definem o caráter, a forma de olhar, de viver, etc., sendo que a sociedade como mentora da escola precisa rever constantemente o seu papel para delinear novos horizontes para o ensino e aprendizagem, respeitando a individualidade e a natureza humana.  

Publicado
Feb 19, 2017
Como Citar
ANNUNCIATO NETO, Rafael. Estigmatização de Alunos com Altas Habilidades. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 18, p. 317-322, feb. 2017. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/336>. Acesso em: 26 june 2017. doi: http://dx.doi.org/10.22287/ag.v1i18.336.

Palavras-chave

Altas habilidades/superdotação. Estigmatização. Excluídos.