Crise Econômica no Brasil

Desafios Presentes e Oportunidades para o Futuro

  • Alexandre da Silva de Oliveira PUC-SP

Resumo

Analisam-se os impactos macroeconômicos criados pela crise econômica originada no mercado hipotecário dos EUA de 2009 sobre a economia brasileira. Com a crise, houve uma escassez de crédito em todo o mundo, com desdobramentos sobre a produção, emprego e consumo em escala internacional. Para o Brasil, a falta de financiamento significou um grande desafio, representado por um ciclo recessivo do PIB, aumento da taxa de câmbio e do custo de financiamento, com efeitos severos sobre as finanças públicas que, somados às debilidades estruturais de competitividade do país, reduziu o nível de atividade econômica. Para o período que compreende a realização das próximas eleições gerais de 2018, há previsões de retomada modesta do crescimento econômico, dos investimentos estrangeiros e exportações. Contudo, ainda persistem desafios a serem superados – inflação persistente, elevadas taxas de juros e debilidades estruturais como precariedade infraestrutural, alta carga tributária e desafios na educação.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Economista e Mestre em Economia, com formação pela Columbia University (EUA) e PUC-SP. Professor de Economia e Finanças na Universidade Paulista, Faculdades Integradas Campos Salles e Fundação Instituto de Administração. Coordenador do curso de Ciências Econômicas na Universidade Paulista. Membro do Grupo de Pesquisas em Desenvolvimento Econômico e Política Econômica (DEPE), da PUC-SP

Publicado
2017-02-19
Como Citar
DE OLIVEIRA, Alexandre da Silva. Crise Econômica no Brasil. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 18, p. 323-329, feb. 2017. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/351>. Acesso em: 20 oct. 2017. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i18.351.