Estudo Comportamental da Geração Z nas Empresas de Tecnologia da Informação do Brasil

  • Fernando José Lopes, Orientador editor do texto Faculdades Integradas Campos Salles/ Faculdade Flamingo/UNIP
  • Diogo Leonardi Ferreira da Silva, Autor
  • Antonia Marcia Artico, Orientadora principal UNIP - Universidade Paulista
  • Mônica Maria Martins de Souza, Professora Doutora Convidada

Resumo

Desde a época da ditadura militar e segunda guerra mundial no Brasil, analisamos brevemente a evolução das gerações dos Baby Boomers à geração Z, discutindo suas principais características e como elas foram evoluindo com o passar dos anos. É interessante como a participação dos eventos sociais e, principalmente, como a disseminação da tecnologia teve grande influência na formação dos indivíduos na sociedade, alterando a forma como as pessoas interagem, agem e reagem aos acontecimentos de rotina, dentro e fora das empresas.


Essa mudança de comportamento é estudada nesse trabalho, focando os estudos nas empresas de Tecnologia da Informação (TI) e da geração Z. Ressalta-se, entretanto, a importância de adaptar os procedimentos e normas da empresa para que se possa desenvolver conexão e sinergia com os Zers, além de possibilitar que as gerações anteriores, também presentes nas empresas de TI atualmente, possam enxergar benefícios com essas mudanças e se adaptem com maior facilidade.


Diante disso, traz-se nesse trabalho algumas propostas importantes para que as empresas possam melhorar sua interação com os Zers e otimizar sua adaptação no ambiente de trabalho, aumentando produtividade e retenção de talentos via satisfação. Tais como: Equilíbrio entre vida pessoal e profissional;      Metas curtas e reconhecimento; Conhecimento diversificado e aprendizagem contínua.


 

Publicado
Dec 26, 2016
Como Citar
LOPES, Fernando José et al. Estudo Comportamental da Geração Z nas Empresas de Tecnologia da Informação do Brasil. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 18, p. 237-254, dec. 2016. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/369>. Acesso em: 17 aug. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.22287/ag.v1i18.369.