Novas Reflexões sobre a Dinâmica do Trabalho

O Ócio Criativo como um Novo Modelo de Gestão

  • Roberto de Oliveira Loureiro Univ. Santa Cecília, Grupo Educacional Hotec, Fac. Oswaldo Cruz, FICS e Madia Marketing School

Resumo

A proposta deste estudo é provocar uma reflexão sobre as relações de trabalho, à luz do modelo de gestão que Domenico De Masi conceitua como Ócio Criativo. Trata-se da devida combinação e intersecção entre três variáveis: trabalho, estudo e lazer. O estudo também avalia criticamente as definições e o entendimento dos termos trabalho e emprego, conceitos ainda comumente confundidos no atual contexto organizacional. Mais do que se ater a considerações semânticas, é realizada uma análise distintiva entre os termos citados, da mesma forma que estabelece um divisor entre ócio e ociosidade. Para compor um arcabouço ainda mais crítico, foi realizado uma pesquisa bibliográfica junto a autores que expressam suas reflexões pertinentes à proposta temática central deste estudo. A partir da chamada Administração Científica, uma síntese sobre as teorias administrativas fez-se necessária no sentido de clarificar e sinalizar um posicionamento cognitivo que viabilize um melhor entendimento dos pressupostos defendidos por De Masi, modelo este que se apresenta como opção para as demandas organizacionais vigentes.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Professor, Doutor em Ciências Sociais, Mestre (Stricto Sensu) em Administração de Recursos Humanos, Pós-Graduado em Marketing, Bacharel em Administração de Empresas com Especialização em Pedagogia. Prof. da Universidade Santa Cecília, Grupo Educacional Hotec, Faculdades Oswaldo Cruz, FICS e Madia Marketing School, Autor dos vídeos “Endomarketing” (LinkQuality) e “Endomarketing Criativo”, São Paulo 2016.

Publicado
2016-12-26
Como Citar
LOUREIRO, Roberto de Oliveira. Novas Reflexões sobre a Dinâmica do Trabalho. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 18, p. 181-192, dec. 2016. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/411>. Acesso em: 17 dec. 2017. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i18.411.