Jean-Jacques Rousseau

Crítica aos Espetáculos do Século XVIII

  • Edson Antonio Ortiz de Camargo

Resumo

Este artigo tem o objetivo de discutir as críticas em relação aos espetáculos do século XVIII, apresentando os pontos de vista de dois filósofos: Rousseau e D’Alembert.  O progresso na ciência e nas artes, a relação dos costumes e a influência dos espetáculos. O homem é um ser histórico, assim, ler pensamentos do século XVIII é uma viagem que nos remete a esse tempo com a compreensão de que o passado ajuda na constituição de quem somos hoje.

Referências

DENT, N.J.H. Dicionário de Rousseau. Tradução Álvaro Cabral. Rio de Janeiro, RJ. Editora Jorge Zahar Editor. 1996.
FORTES, Luiz Roberto Salinas. Rousseau, o teatro, a festa e Narciso. In Revista Discurso. Nº 17. São Paulo, SP. Editora Polis. 1988.
GARCIA, Claudio Boeira.As cidades e suas cenas: a crítica de Rousseau ao teatro. Ijuí. RS. Editora Unijuí. 1999.
MORA, J. Ferrater. Dicionário de Filosofia. São Paulo – SP. Editora Loyola.2004
ROUSSEAU, Jean-Jacques. Carta a D´Alembert. Tradução de Roberto Leal Ferreira. 1ª Edição. Campinas, São Paulo. Editora da Unicamp. 1993.
____________. Confissões. Tradução livro I a X de Raquel de Queiroz e livros XI e XII José Benedicto Pinto. 1ª Edição. São Paulo. SP. Editora Edipro. 2008.
SIMPSON, Matthew. Compreender Rousseau. Tradução de Hélio Magri Filho. Petrópolis, RJ. Editora Vozes. 2009.
STAROBINSKI, Jean. Jean-Jacques Rousseau: a transparência e o obstáculo. Tradução Maria Lúcia Machado. São Paulo, SP Editora Companhia das letras. 2011.
____________. As máscaras da civilização. Tradução de Maria Lucia Machado. São Paulo, SO. Companhia das Letras, 2001.
Publicado
2017-06-30
Como Citar
CAMARGO, Edson Antonio Ortiz de. Jean-Jacques Rousseau. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 19, p. 121-132, june 2017. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/454>. Acesso em: 24 nov. 2017. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i19.454.