Recursos Humanos e Comissionamento na Administração Pública: Perfil das produções científicas entre 1996 e 2017

  • Adriana Afonso Barcelos Moraes SPPrev - São Paulo Previdência
  • Luis Fernando Salles Moraes Centro Universitário da FEI
  • Dalton Tria Cusciano Fundacentro/FGV-SP
  • Caroline Gorga Mayo Cusciano PUC/SP
  • Mauro Maia Larucci FICS

Resumo

Esta pesquisa busca contribuir com o avanço do conhecimento na seara da Administração Pública ao mapear as principais linhas de pesquisas, metodologias utilizadas e referencial teórico citados nos periódicos Administração Pública e Gestão Social, Revista de Administração Pública, Public Administration e American Review of Public Administration. De forma complementar, este artigo mapeia as produções científicas que tratam do comissionamento na Administração Pública. A abordagem de pesquisa classifica-se como mista, a pesquisa é qualitativa quanto à análise de conteúdo dos resultados e lacunas e quantitativa quando analisada pela estatística descritiva ao sumarizar o conjunto de dados. Foram analisados 117 (cento e dezessete) artigos em 04 (quatro) periódicos, sendo 70 (setenta) nacionais e 47 (quarenta e sete) internacionais no período de 1996 a 2017. Constatou-se que as obras são preferencialmente qualitativas e aumentaram na última década, atingindo seu ápice nacionalmente em 2012 e em 2017 internacionalmente. Para o contexto brasileiro, constatou-se a centralização de estudos na esfera federal, gerando uma oportunidade para análise subnacional, bem como a existência de uma carência de estudos sobre cargos comissionados na Administração Pública.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Analista em Gestão Previdenciária na São Paulo Previdência (SPPrev), bacharel em Direito e especialista em Direito Previdenciário

##submission.authorWithAffiliation##

Analista em C&T na Fundacentro, bacharel em Administração e doutor em Administração pelo Centro Universitário da FEI

##submission.authorWithAffiliation##

Dalton Tria Cusciano é Doutorando em Administração Pública e Governo, Mestre em Direito e Desenvolvimento e Bacharel em Direito, todos pela FGV/SP, exercendo atualmente o cargo de servidor público federal na Fundacentro e de professor universitário nas Faculdades Integradas Campos Salles (FICS).

##submission.authorWithAffiliation##

Caroline Gorga Mayo Cusciano é bacharel e especialista em direito pela PUC/SP e servidora pública estadual.

##submission.authorWithAffiliation##

Analista em C&T na Fundacentro e Professor da PUC/SP, bacharel em Administração e doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP. Professor das Faculdades Integradas “Campos Salles” (FICS)

Referências

ABERBACH, D. J.; ROCKMAN, B. A. The appointments process and the administrative presidency. Presidential Studies Quarterly, v. 39, n. 1, p. 38-59, 2009.
ALESSIO, M. F.; PACHECO, R. Tendências recentes na profissionalização dos dirigentes públicos. In: BASSOTTI, Ivani; SOUZA, Sandra; SANTOS, Thiago. Uma nova gestão é possível. São Paulo: FUNDAP, 2015. p. 179-205.
BONIS, D.; PACHECO, R. S. Nem político, nem burocrata: o debate sobre o dirigente público. In: ABRUCIO, Fernando; LOUREIRO, Maria Rita; PACHECO, Regina Silvia. (Orgs.). Burocracia e política no Brasil: desafio para o estado democrático no século XXI. Rio de Janeiro: FGV, 2010. p. 273-295.
BOYNE, G. A. Public and private management: what ’ s the difference? , Journal of Management Studies, v. 39, n. 1, p. 97-122, 2002.
BRASIL. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Plano diretor da reforma do Estado. Brasília: Imprensa Oficial, 1995.
_____. Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado. A Nova política de recursos humanos. Brasília: MARE, 1997.
_____.Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Gestão Pública. Boletim estatístico de pessoal e informação organizacional. Brasília, v. 20, n. 227, mar. 2015.
BRESSER-PEREIRA, L. C. Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, v. 47, n. 1, p. 7-40, jan./abr. 1996.
BREWER, G.; MARANTO, R. Comparing the roles of political appointees and career executives in the U.S. Federal Executive Branch. American Review of Public Administration, v. 30, n. 1, p. 69-88, mar. 2000.
CRUZ, R. P. Carreiras burocráticas e meritocracia: o impacto do ingresso de novos servidores na última década sobre a dinâmica do preenchimento dos cargos em comissão no governo federal brasileiro. In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 2., 2009, Brasília, 2009.
D’ARAUJO, M. C. A elite dirigente no governo Lula. Rio de Janeiro: FGV, 2009.
_____.; KRAMER, R.; PERRY J. L.; MESCH, D.; PAARLBERG, L. Motivating employees in a new governance era: the performance paradigm revisited. Public Administration Review, v. 66, n. 4, p. 505-514, 2006.
DE OLIVEIRA NUNES, Edson. A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Zahar, 1997.
GEDDES, Sir Patrick. Cidades em evolução. Papirus, 1994.
GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.
GODOI, C. K.; MATTOS, P. L. C. L. Entrevista qualitativa: instrumento de pesquisa e evento dialógico. In: SILVA, A. B. da; GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006. p. 301-324.
GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, mar./abr. 1995. p. 57-63.
HOOD, C. C. A public management for all seasons?. Public Administration, v. 69, n. 1, p. 3-20, 1991.
INGRAHAM, P. Building bridges or destroying them: The president, the appointees and the bureaucracy. Public Administration Review, v. 47, p. 425-435, 1987.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Perfil dos estados brasileiros. Pesquisa de Informações básicas estaduais. ESTADIC. Brasília: IBGE, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2016.
_____.Perfil dos municípios brasileiros. Pesquisa de Informações Básicas Municipais. MUNIC. Brasília: IBGE, 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2016.
LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.
LIGHT, P. C. When worlds collide: the political and career nexus. In: MACKENZIE, G. C. (Ed.). The in-and-outers: presidential appointees and transient government in Washington. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1987. p. 156-173.
LONGO, F. A consolidação institucional do cargo de dirigente público. Revista do Serviço Público, v. 54, n. 2, p. 7-33, 2003.
_____.Mérito e flexibilidade: a gestão das pessoas no setor público. São Paulo: FUNDAP, 2007.
LOPEZ, F.; BUGARIN, M.; BUGARIN, K. Rotatividade nos cargos de confiança da administração federal brasileira (1999-2013). Revista do Serviço Público, v. 65, n. 4, p. 439-461, 2014.
_____.; PRAÇA, S. Como são nomeados cargos de confiança no governo federal?. In: BASSOTTI, Ivani; SOUZA, Sandra; SANTOS, Thiago. Uma nova gestão é possível. São Paulo: FUNDAP, 2015. p. 161-177.
LOTTA, G. S.; PIRES, R. R. C.; OLIVEIRA, V. E. Burocratas de médio escalão: novos olhares sobre velhos atores da produção de políticas públicas. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 65, n. 4, 2014.
LOUREIRO, M. R.; OLIVIERI, C.; MARTES, A. C. B. Burocratas, partidos e grupos de interesse - as relações entre política e burocracia na literatura sobre o Brasil. In: ABRUCIO, F. L.; LOUREIRO, M. R.; PACHECO, R. S. (Orgs.). Burocracia e política no Brasil: desafios para o estado democrático no século XXI. Rio de Janeiro: FGV, 2010.
LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa: uma introdução. 2. ed. São Paulo: EDUC, 1999.
MARCONI, N. A evolução do perfil da força de trabalho e das remunerações nos setores público e privado ao longo da década de 1990. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 54, n.1, p. 7-43, 2003a.
MARCONI, N. O diagnóstico da política de recursos humanos do Governo Público Federal: uma atualização. Digesto Econômico, v. 69, p. 26-27, 2014.
MEIER, K. J.; O’TOOLE, L. Public management and organizational performance: The impact of managerial quality. Journal of Policy Analysis of Management, v. 21, p. 629-643, 2002.
MONTEIRO BRANDÃO, S.; BRUNO-FARIA, M. de F. Inovação no setor público: análise da produção científica em periódicos nacionais e internacionais da área de administração. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 47, n. 1, 2013.
OCDE. Avaliação da gestão de recursos humanos no governo – relatório da OCDE: Brasil. 2010.
OLIVEIRA LEITE, L. de; REZENDE, D. A. Modelo de gestão municipal baseado na utilização estratégica de recursos da tecnologia da informação para a gestão governamental: formatação do modelo e avaliação em um município. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 44, n. 2, 2010.
OLIVIERI, C. Os controles políticos sobre a burocracia. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 45, n. 5, p. 1395-1424, 2011.
PACHECO, R. S. Mudanças no perfil dos dirigentes públicos no Brasil e desenvolvimento de competências de direção. In: VII Congreso Internacional del CLAD sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública, Lisboa Portugal, 2002.
PETERS, B. G. Bureaucrats and political appointees in European democracies: who’s who and does it make any difference?. In: FARAZMAND, A. Modern systems of government. London: Sage, 1997. p. 232-255.
PRAÇA, S.; FREITAS, A.; HOEPERS, B. A rotatividade dos servidores de confiança no governo federal brasileiro, 2010-2011. Novos Estudos Cebrap, v. 94, p. 91-107, nov. 2012.
RAINEY, H. G.; BOZEMAN, B. Comparing public and private organizations: empirical research and the power of a priori. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 10, n. 2, p. 447-69, 2000.
SELLTIZ, C.; JAHODA, M.; DEUTSCH, M.; COOK, S. M. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: Herder, 1967.
SCHNEIDER, Ben Ross. Burocracia pública e política industrial no Brasil. Editora Sumaré, 1994.
VALMORBIDA, S. M. I. et al. Avaliação de desempenho organizacional: panorama das publicações em periódicos nacionais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 7, n. 2, 2013.
WOOD, B. D.; MINER, P. What Determines How Long Political Appointees Serve?. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 18, n. 3, p. 375-96, 2008
Publicado
2017-12-31
Como Citar
MORAES, Adriana Afonso Barcelos et al. Recursos Humanos e Comissionamento na Administração Pública: Perfil das produções científicas entre 1996 e 2017. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 20, p. 223-236, dec. 2017. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/571>. Acesso em: 25 sep. 2018. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i20.571.