Políticas industriais no Brasil: da necessidade à dificuldade de sua implementação

  • Maurício Felippe Manzalli

Resumo

O estímulo à competição, à intensificação no ritmo da incorporação do progresso técnico na produção e à reestruturação das indústrias marcaram as forças econômicas mundiais na última década. Todos esses fatores provocaram um movimento de preocupação nas empresas com a produtividade e melhoria dos seus produtos e serviços obtidos, freqüentemente, com a internacionalização e globalização de seus manufaturados inseridos num modelo pós-fordista de estruturação e organização das empresas.

Estes acontecimentos levam-nos a pensar, muitas vezes, no sentido e no conteúdo de uma política industrial num momento em que empresas e nações centralizam seus esforços na conquista da competitividade. Este artigo apresenta algumas considerações sobre este tema.

##submission.authorBiography##

Maurício Felippe Manzalli
Mestre em Economia Política pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor dos cursos de Economia e Administração de Empresas da Universidade Paulista. Professor do curso de Administração de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior das Faculdades Integradas "Campos Salles".

Referências

BONELLI, Regis. Linhas gerais para política industrial. ln: IPEA. O Brasil no fim do século: desafios e propostas para a ação governamental. Rio de Janeiro: IPEA, 1994. p.245-256.
BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. Economia brasileira: uma introdução crítica. São Paulo: Brasiliense, 1986.
COUTINHO, Luciano. Política industrial é solução, não problema. Folha de São Paulo, São Paulo. 25 out 1998. dinheiro, p. 2.8.
ERBER, Fábio S.; CASSIOLATO, José Eduardo. Política industrial: teoria e prática no Brasil e na OCDE. Revista de Economia Política. São Paulo, v. 17 n. 2 (66), p. 32-60, 1997.
FRISCHTAK, Cláudio Roberto. O que é política industrial? Rio de Janeiro: BNDES, 1993 .
___. Política industrial ativa em um mundo global. ln: CASTRO, Antonio Barros de et al. O futuro da indústria no Brasil e no mundo: os desafios do século XXI. Rio de Janeiro: Campus, 1999. p.265-277.
KAPAZ, Emersoó~ · Trata-se de engajar o país da globalização. Economia em Perspectiva. São Paulo, p.4-5, maio 1996.
KON, Anita. A urgência de uma política abrangente. Economia em Perspectiva. p.2-3, maio 1996.
LACERDA, Antonio Corrêa de. O impacto da globalização na economia brasileira. São Paulo: Contexto, 1998.
LAFER, Celso. A política industrial e de comércio exterior. ln: VELLOSO, João Paulo dos Reis. A crise mundial e a nova agenda de crescimento. Rio de Janeiro: José Olympio, 1999. p. 225-236.
PINHEIRO, Armando Castelar. Perspectivas da política industrial. Boletim Conjuntura. IPEA, Brasília, n. 26, 1994.
SINGER, Paul. O capitalismo: sua evolução, sua lógica e sua dinâmica. São Paulo: Moderna, 1987.
STRACHMAN, Eduardo. Os fundamentos teóricos das políticas industriais. ln: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 4., 1999, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: [s.n.], 1999.
Como Citar
MANZALLI, Maurício Felippe. Políticas industriais no Brasil: da necessidade à dificuldade de sua implementação. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, n. 5, p. 44-50, aug. 2012. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/113>. Acesso em: 23 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v0i5.113.