A aderência dos relatórios de sustentabilidade das instituições financeiras ao modelo GRI

  • Ricardo Garrido Schwach Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidades - FMU
  • Robson Danúbio da Silva César Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidades - FMU
  • Celso Machado Júnior Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidades - FMU
  • Angelo Palmisano Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidades - FMU

Resumo

O ambiente corporativo evolui de forma determinante na criação de valor, a partir das boas práticas de Governança Corporativa. Neste contexto, os indicadores são utilizados para mensurar o desempenho empresarial e para auxiliar a tomada de decisão. Este artigo investiga a existência dos indicadores de desenvolvimento sustentável em instituições financeiras e a respectiva aderência destes aos modelos de indicadores propostos pelo GRI. A base de investigação se apoia em dados disponibilizados na forma de relatórios do Global Reporting Initiative (GRI), do Instituto Ethos (ETHOS) e de Indicadores de Sustentabilidade Empresarial (ISE). Realizou-se pesquisa em seis empresas do setor bancário, sendo três nacionais e três multinacionais. Os dados foram organizados de forma a possibilitar a comparação entre os diversos indicadores de sustentabilidade que as empresas utilizam. Esta abordagem possibilitou uma classificação de aderência destes indicadores segundo as três dimensões: econômica, social e ambiental. Os dados possibilitam evidências da existência de diversidade nos indicadores utilizados e baixo índice de aderência por estas empresas aos indicadores essenciais ao GRI.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Mestrado Profissional de Administração em Governança Corporativa do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas
##submission.authorWithAffiliation##
Mestrado Profissional de Administração em Governança Corporativa do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas
##submission.authorWithAffiliation##
Doutor em administração - e Professor do Programa de Mestrado Profissional de Administração em Governança Corporativa do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unida
##submission.authorWithAffiliation##
Doutorado em Ciências Sociais Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Pró-Reitor Acadêmico e Professor do Programa de Mestrado Profissional de Administração em Governança Corporativa do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas

Referências

AMATO NETO, J. Sustentabilidade e Produção. São Paulo: Editora Atlas: 2011.
ANDRADE, M. M. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2002.
BABBIE, E. The practice of social research. 5 ed. Califórnia: Wadsworth, 1989.
BASSETTO, L. I. A incorporação da responsabilidade social e sustentabilidade: um estudo baseado no relatório de gestão 2005 da companhia paranaense de energia - COPEL. Gestão & Produção, v. 17, n. 3, 2010.
BECKER, J. Making sustainable development evaluations work. Sustainable Development, Chichester, v. 2, n. 4, p. 200-211, nov. 2004.
BELLEN, H. M. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.
BELLEN, H. M. V. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. Rio de Janeiro: FGV, 2007.
BENITES, L.L.L.;POLO, E.F.; A Sustentabilidade como ferramenta estratégica empresarial: governança corporativa e aplicação do triple bottom line na Masisa. Rev. Adm. UFSM, Santa Maria, v. 6, Edição Especial, p. 827-841, Mai. 2013
BESSERMAN, S. Meio ambiente no século 21: indicadores. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.
BM&F BOVESPA. Índice de sustentabilidade empresarial: ISE. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2011.
BOVESPA – Bolsa de Valores de São Paulo. Índice de sustentabilidade empresarial. Disponível em: ApresentacaoP.asp?Indice=ISE>. Acesso em: 20 mar. 2009.
BROWN, H. S., DE JONG, M., LEVY, D. L. Building institutions based on information disclosure: lessons from GRI’s sustainability reporting. Journal of Cleaner Production, v. 17, n. 6, p. 571-580, 2009.
CARROLL, A. B . Corporate social responsibility. Business and Society, v. 8, n.3, p. 268-295, set. 1999.
CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.
CSD. Indicators of sustainable development: guidelines and methodologies. Comission on Sustainable Development, 2002.
DEPONTI, C. M. Estratégias para construção de indicadores para avaliação da sustentabilidade e monitoramento de sistemas. Revista Agroecologia e desenvolvimento sustentável. Porto Alegre: Emater/RS, v.3, n. 4, out/dez. 2002.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2010.
GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
GRI - GLOBAL REPORTINGINIATIVE. Diretrizes para relatório de sustentabilidade. versão 3.0. São Paulo: GRI, 2006a.
GRI - GLOBAL REPORTING INIATIVE. Níveis de aplicação da GRI. 2006b. Disponível em: Acesso em: 10 abr. 2014.
GRI - GLOBAL REPORTINGINIATIVE. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2009.
GRI - GLOBAL REPORTING INITIATIVE. Sustainability reporting guidelines. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2014.
HARDI, P.; ZDAN, T. J. The dashboard of sustainability. Winnipeg: IISD, 2000.
HILSON, G.; BASU, A. J. Devising indicators of sustainable development for the mining and minerals industry: an analysis of critical background issues. International Journal of Sustainable Development and World Ecology, v. 10, n. 4, p. 319–331, dec, 2003.
INSTITUTO BRASILEIRO DE ANÁLISES SOCIAIS E ECONÔMICAS. Balanço social. Disponível em: Acesso em: 24 abr. 2009.
INSTITUTO ETHOS DE EMPRESAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Pesquisa geral no site. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2009.
KRAJNC, D.; GLAVIC, P. Indicators of sustainable development. Clean Technology Environment Policy, n. 5, p. 279–288, 2005.
LEVY, D. L.; SZEJNWALD-BROWN, H.; DE JONG, M. The Contested politics of corporate governance the case of the global reporting initiative. Business & Society, v. 49, n. 1, p. 88-115, 2010.
LONGARAY, A. A. et al. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2003.
MACKEY, A. T. B.; MACKEY J. B.; BARNEY. Corporate social responsibility and firm performance: Investor relations and corporate strategies. Academy of Management Review, v. 32, p. 817?835, 2007.
MARIMON, F. et al. The worldwide diffusion of the global reporting initiative: what is the point? Journal of Cleaner Production, v. 33, p. 132-144, 2012.
MEADOWS, D. Indicators and information systems for sustainable development. A Reportto the Balaton Group. The Sustainability Institute, Hartland Four Corners, VT, 1998.
MOLDAN, B.; BILLHARZ, S. Sustainability indicators: report of the project on indicators of sustainable development. Chichester: John Wiley & Sons, 1997.
OLIVEIRA, M. C. et al. Disclosure of social information by Brazilian companies according to United Nations indicators of corporate social responsibility. Revista Contabilidade e Finanças, São Paulo, v. 20, n. 51, 2009. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2011.
PORTER, M.; KRAMER, M. Strategy and Society: the link between competitive advantage and corporate social responsibility. HBR Spotlight, Harvard Business Review. December 2006.
RAGAS, A. M.J.; KNAPEN, M. J.; VAN DE HEUVEL, P. J. M.; EIJKENBOOM, R. G. F.T.M.; BUISE, C. L.; VAN DE LAAR, B.J. Towards a sustainability indicator for production systems. Journal of Cleaner Production, v. 3, n. 1-2, p. 123-129, 1995.
RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 31. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.
TEIXEIRA, E. A.; NOSSA, V.;FUNCHAL, B. O índice de sustentabilidade empresarial (ISE) e os impactos no endividamento e na percepção de risco. R. Cont. Fin. – USP, São Paulo, v. 22, n. 55, p. 29-44, jan./fev./mar./abr. 2011.
TINOCO, J. E. P. Balanço social e relatório de sustentabilidade. São Paulo: Atlas,2010.
Publicado
2014-12-26
Como Citar
SCHWACH, Ricardo Garrido et al. A aderência dos relatórios de sustentabilidade das instituições financeiras ao modelo GRI. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, n. 14, p. 183-201, dec. 2014. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/228>. Acesso em: 21 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i14.228.

Palavras-chave

Sustentabilidade; Modelos de Indicadores; Aderência; Governança Corporativa