A política educacional como instrumento da cidadania

  • Sérgio da Costa Bortolim Centro Paula Souza

Resumo

A política é um exercício humano e se constrói no seio de uma coletividade. E a educação é a estrutura de execução da política hegemônica na atualidade que visa criar indivíduos dóceis a uma realidade de constante submissão e de empobrecimento econômico, cultural e moral. Cabe ao profissional da educação emancipar-se e promover a emancipação daqueles que sua profissão pode atingir, ou seja, toda a sociedade.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Mestre em Políticas Sociais pela UNICSUL, Graduado em Filosofia e Especialista em Formação de Professores. É professor titular do Centro Paula Souza e coordena as áreas de filosofia e sociologia do Colégio Agostiniano São José, em São Paulo

Referências

ABREU, Gilberto Andrade. A deserção da história: o pós-modernismo e o neoliberalismo como armas ideológicas do capitalismo global: um mal estar mais que uma ruptura. 2009. Tese (Doutorado)-Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.
AHLERT, Alvori. Políticas públicas e educação na construção de uma cidadania participativa, no contexto do debate sobre ciência e tecnologia. Revista da Educação, Umuruama, v.3, n.2, jul./dez. 2003.
ARISTÓTELES. A política. Trad. Nestor Silveira Chaves. São Paulo: Escala Educacional, 2006. (Série filosofar).
______. Ética a Nicômaco. Trad. Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2001.
AZEVEDO, Janete M Lins. A educação como política pública. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2004.
BALL, Stephen J. Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Revista Currículo sem Fronteiras, v. 1, n. 2, p. 99-116, jul./dez. 2001.
COMBLIN, José. O neoliberalismo: ideologia dominante na virada do século. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.
DUPAS, Gilberto. Economia global e exclusão social: pobreza, emprego, estado e o futuro do capitalismo. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
GRASSI, Estela. Neoliberalismo conservador y estado assistencialista: reflexiones críticas sobre los alcances y resolución de la crisis. Revista Serviço Social & Sociedade, São Paulo, v. 15, n. 44, abr. 1994.
HAYEK, Friedrich A. O caminho da servidão. 2. ed. Tradução Leonel Vallandro. São Paulo: Globo, 1977.
HOFLING, Eloisa de Mattos. Estado e políticas (públicas) sociais. Cad. CEDES, Campinas, v. 21, n. 55, nov. 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.
IANNI, Octavio. Teorias da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas estrutura e organização. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2006. (Coleção docência em formação; Série saberes pedagógicos).
MARCONDES, Danilo. Textos básicos de ética. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.
PENNA, J. O. M. A sociedade de Mont Pèlerin. Jornal da Tarde, 29 nov.1999.
RODRIGUES, Alberto Tosi. Gênese, retórica e prática. Campinas, maio/jun.1995. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.
RUSS, Jacqueline. Dicionário de filosofia. São Paulo: Scipione, 1994.
SANDRONI, Paulo. Dicionário de economia. São Paulo: Editora Best Seller, 1987. (Coleção os Economistas).
Publicado
2014-12-26
Como Citar
BORTOLIM, Sérgio da Costa. A política educacional como instrumento da cidadania. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, n. 14, p. 143-155, dec. 2014. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/242>. Acesso em: 21 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i14.242.

Palavras-chave

Política; Educação; Neoliberalismo; Docência