JOGOS DIGITAIS BRASILEIROS PARA EDUCAÇÃO MUSICAL

  • Alan Carvalho Fatec São Caetano do Sul Faculdade Impacta de Tecnologia

Resumo

A partir da constatação de que os jogos representam ferramentas de apoio úteis para os educadores de diversas áreas e que os jogos digitais têm sido cada vez mais considerados nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi mostrar como jogos digitais, com ênfase nos desenvolvidos por empresas ou instituições brasileiras, tem sido utilizados na Educação Musical em diversos níveis educacionais, dentro ou fora do sistema formal de educação. Constatou-se por meio de pesquisa bibliográfica e documental haver diversos trabalhos desenvolvidos sobre o tema, além de títulos nacionais de qualidade desenvolvidos por universidades como parte de projetos de pesquisa. Ao mesmo tempo verificou-se que, apesar das empresas brasileiras de desenvolvimento de jogos digitais terem produzido diversos títulos recentemente, não há informações disponíveis com facilidade para que os educadores musicais tenham subsídios suficientes para a escolha de jogos digitais adequados para sua prática pedagógica.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Mestre em Tecnologia, Pós-graduado em Jogos Digitais, em Docência do Ensino Superior e Tecnólogo em Processamento de Dados. Atua na área de Tecnologia da Informação desde 1986 e na área de Educação e Treinamento desde 1989. Autor de livros e materiais de treinamento na área de Tecnologia da Informação. Avaliador do INEP/MEC. Parecerista de cursos da área de Computação para o Guia do Estudante da Editora Abril. Docente e coordenador de cursos de graduação na Fatec São Caetano do Sul e na Faculdade Impacta de Tecnologia.

Referências

AGÊNCIA FAPESP. Jogos virtuais auxiliam no ensino de música. São Paulo: Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo, 2012. Disponível em: http://agencia.fapesp.br/15625. Acesso em 29 mar. 2014.

ALIEL, L.; GOHN, D. Jogos eletrônicos musicais e EAD: contingência de ferramentas para aprendizagem instrumental. In: Anais do I SIED: EnPED – Simpósio Internacional de Educação a Distância e Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2012. Disponível em: http://www.sied-enped2014.ead.ufscar.br/ojs/index.php/sied/article/view/64/32. Acesso em 29 mar. 2014.

ALVES, L.R.G. Game Over: jogos eletrônicos e violência. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2004. Disponível em: http://www.lynn.pro.br/admin/files/lyn_artigo/685ef5af57.pdf. Acesso em 22 mar. 2014.

ARMELIATO. E. Jogos computacionais na educação: uma aplicação ao ensino de música. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e de Computação. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2011. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=000866955. Acesso em 29 mar. 2014.

BALBINOT, G. Educação não-formal: a contribuição da música para a educação da sensibilidade na adultez. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação da PUCRS. Porto Alegre: PUCRS, 2013. Disponível em: http://tede.pucrs.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4644. Acesso em 08 mar. 2014.

BNDES. I Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 2014. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/seminario/seminario_mapeamento_industria_games042014_RelApoioCensoIndustriaBrasileiradeJogos.pdf. Acesso em 02 abr. 2014.

BRASIL. Parecer CNE/CEB nº 12/2013. Define Diretrizes Nacionais para a operacionalização do ensino de Música na Educação Básica. Brasília: Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica, 2013a. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=14875&Itemid=. Acesso em 15 mar. 2014.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral, 2013b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=13448&Itemid=. Acesso em 15 mar. 2014.

CHIARELLI, L.K.M.; BARRETO, S. de J. A importância da musicalização na Educação Infantil e no Ensino Fundamental: a Música como meio de desenvolver a inteligência e a integração do ser. In: Revista Recre@rte Nº3 Junio 2005 ISSN: 1699-1834. Santiago de Compostela: Instituto Avanzado de Creatividad Aplicada Total, 2005. Disponível em: http://www.iacat.com/Revista/recrearte/recrearte03/musicoterapia.htm. Acesso em 08 mar. 2014.

CÓRIA-SABINI, M.A.; LUCENA, R.F. de. Jogos e brincadeiras na educação infantil. 5.ed. Campinas: Papirus, 2004.

CORREA, A.N. Bebês produzem Música? O brincar-musical de bebês em berçário. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/ bitstream/handle/10183/72121/000882111.pdf. Acesso em 08 mar. 2014.

FADEL, L.M. et al (orgs.). Gamificação na educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014.

FARIA, L.C.F. de; OLIVEIRA, P.L.L.M.G. de. O jogo eletrônico como estímulo de aprendizagem musical. In: Colloquium Humanarum, v. 8, n. Especial, jul.-dez 2011. Presidente Prudente: Universidade do Oeste Paulista, 2011. Disponível em: http://www.unoeste.br/site/ pos/enapi/2011/suplementos/documentos/Humanarum-PDF/CDA rtes. pdf. Acesso em 29 mar. 2014.

FERNANDES, J.C.L. Educação digital: Utilização dos jogos de computador como ferramenta de auxílio à aprendizagem. In: FaSCi-Tech, v.1, n.3, jul./dez.2010, p. 88-97. São Caetano do Sul: Fatec São Caetano do Sul, 2010. Disponível em: http://www.fatecsaocaetano.edu.br/ fascitech/index.php/fascitech/article/view/28/27. Acesso em 22 mar. 2014.

FICHEMAN, I.K. et al. PORTAL EDUMUSICAL: Telemática aplicada à Educação Musical. In: Anais do XV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Manaus: Universidade Federal do Amazonas, 2004. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/ article/view/351/337. Acesso em 29 mar. 2014.

FIALHO, N.N. Jogos no ensino de Química e Biologia. Curitiba: InterSaberes, 2013.

GOHN, M. da G. e STAVRACAS, I. O papel da Música na Educação Infantil. In: EccoS Revista Científica, vol. 12, núm. 2, jul.-dez. 2010, pp. 85-103. São Paulo: Universidade Nove de Julho, 2010. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/715/71518580013.pdf. Acesso em 08 mar. 2014.

JANAUDIS, M.A. A música como instrumento de reflexão para o estudante de Medicina. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-20052011-175337/publico/MarcoAurelioJanaudis.pdf. Acesso em 08 mar. 2014.

JOYTUNES. About JoyTunes. Tel Aviv: JoyTunes Ltd, 2013. Disponível em: http://www. joytunes.com/about.php. Acesso em 29 mar. 2014.

KANNO, M. Projeto Edumusical facilita a educação musical de crianças. São Paulo: Agência USP de Notícias, 2004. Disponível em: http://www.usp.br/agen/bols/2004/rede1433.htm. Acesso em 29 mar. 2014.

LOPES, N. e OLIVEIRA, I. Videojogos, Serious Games e Simuladores na Educação: usar, criar e modificar. In: Educação, Formação e Tecnologias, vol. 6, n. 1. Monte da Caparica: Educom – Associação Portuguesa de Telemática Educativa, 2013. Disponível em: http://www.eft.educom.pt/index.php/eft/article/view/346/176. Acesso em 22 mar. 2014.

MATTAR, J. Games em educação: como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

NOGUEIRA, B.P. Guitar Hero: novas práticas de consumo e cultura auditiva na música através dos videogames. In: Contemporanea – Revista de Comunicação e Cultura, vol. 7, n. 2, 2009. Salvador: Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, 2009. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/3698/2884. Acesso em 29 mar. 2014.

OLIVEIRA, S.A.C. de. Um estudo sobre Música e qualidade de vida na terceira idade com base em princípios de Educação Ambiental. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental. Rio Grande: Universidade Federal do Rio Grande, 2013. Disponível em: http://www.argo.furg.br/bdtd/0000010278.pdf. Acesso em 08 mar. 2014.

RAU, M.C.T.D. A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. 2.ed. Curitiba: Ibpex, 2011.

RIBEIRO, F.D. Jogos e Modelagem na Educação Matemática. Curitiba: Ibpex, 2008.

TEIXEIRA, L.F.B. Cultura de simulação, videojogos e educação: uma (nova) caixa de ferramentas para a aprendizagem. In: Lumina, vol. 7, n. 1, jun. 2013. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora, 2013. Disponível em: http://www.lumina.jor.br/index.php/lumina/ article/view/72/153. Acesso em 22 mar. 2014.
Publicado
2015-12-16
Como Citar
CARVALHO, Alan. JOGOS DIGITAIS BRASILEIROS PARA EDUCAÇÃO MUSICAL. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 15, p. 74-91, dec. 2015. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/279>. Acesso em: 23 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i15.279.

Palavras-chave

jogo digital, jogo educacional, educação musical, ensino de Música