RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SISTEMA FINANCEIRO: INICIATIVA BRASILEIRA POR UM CAPITALISMO HUMANISTA

  • Carolina Gladyer Rabelo Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP

Resumo

O presente artigo objetiva refletir sobre os conceitos da Responsabilidade Socioambiental (RSA) no âmbito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) brasileiro, como ponto de partida para uma gradual mudança dos paradigmas capitalistas, o que pode resultar em um regime econômico mais inclusivo. Num primeiro momento, discorre sobre a definição de responsabilidade socioambiental, fundamento necessário para compreender a conexão entre a preservação ambiental e a proteção dos direitos do homem. A partir daí, em função do impacto ocasionado por tal visão, busca demonstrar a exclusão social existente no sistema capitalista hodierno, para refletir sobre a criação de caminhos que conectem os preceitos suscitados, visando o desenho de uma sociedade mais humana e justa. É fato que tal perspectiva impacta todas as nações, e, em função disso, a sustentabilidade passa a ser um dever planetário. Contudo, restrito ao caso brasileiro, o trabalho ressalta ser fundamental a atenção às questões de sustentabilidade no âmbito financeiro – vez que é setor responsável pelas trocas monetárias e concessão de empréstimos –, na tentativa de substituição de um modelo econômico predador, que coloca em risco a sobrevivência do planeta, por outro, que possa enveredar para um longo caminho de volta.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Doutoranda em Direito Econômico na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP. Possui Mestrado em Direito Internacional pela Universidade Católica de Santos - UNISANTOS (2009) e Graduação em Direito pela Universidade Católica de Santos (2006). Advogada Inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil Seccional São Paulo desde 2007, atuando precipuamente no âmbito consultivo financeiro, tanto nacional quanto internacional. Gerente Jurídica da Associação Brasileira de Bancos – ABBC. Além de Advogada é Professora em cursos de Graduação e Pós-Graduação em São Paulo – SP

Referências

AMARAL JUNIOR, Alberto do. Introdução ao direito internacional público. São Paulo: Atlas, 2008.
BALERA, Wagner. Comentários à Declaração Universal dos Direitos Humanos. 2ª ed. Conceito Editorial, 2011.
BAUMAN, Zygmunt. O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
BECK, Ulrich. ¿Qué es la globalización? falacias del globalismo, respuestas a la globalización. Barcelona: Paidós, 1998.
BIELSCHOWSKY, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo Ideológico do desenvolvimentismo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 1995.
BOBBIO, Norberto. Liberalismo e Democracia. São Paulo: Brasiliense, 2006.
BRASIL. Constituição Federal de 1988.
BRUE, Stanley. História do Pensamento Econômico. 6 ed. São Paulo: Thomson, 2005.
CAPRA, Fritjof. Conexões Ocultas: Ciência para uma Vida Sustentável. 4 ed. Trad. Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Pensamento-Cultrix, 2005.
CASTEL, Robert. As Armadilhas da Exclusão. 2 ed. Trad. Cleisa Moreno Maffei Rosa e Mariângela Belfiore-Wanderley. São Paulo: Editora Educ, 2007.
EVANS, Peter. Embedded autonomy: states and Industrial transformation. Princeton: Princeton University Press, 1995.
FARIA, José Eduardo. O direito na economia globalizada. São Paulo: Malheiros, 2002.
KEOHANE, Robert O; NYE, Joseph S. Poder e interdependência: la política mundial em transición. Grupo Editor Latinoamericano: Buenos Aires, 1988.
LAFER, Celso. A reconstrução dos direitos humanos. São Paulo: Cia das Letras, 1988.
LOCKE, John. Carta sobre la Tolerância. 5 ed. Tecnos: Madrid, 2005.
MACKEY, John; SISODIA, Raj. Capitalismo Consciente: como libertar o princípio heroico dos negócios. São Paulo: HSM Editora, 2013.
MARITAIN, Jacques. Humanismo Integral. 2 ed. Madrid: Palabra, 1999.
MELLO, Celso Antônio Bandeira. O conteúdo jurídico do princípio da igualdade. 2 ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1984.
MOHR, L. A., WEBB, D. J., & HARRIS, K. E. Do consumers expect companies to be socially responsible? The impact of corporate social responsibility on buying behavior. The Journal of Consumer Affairs, 35(1), 2001.
MOREIRA, Vital. Estudos de regulação pública. Coimbra: Editora Coimbra, 2004.
NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia Política. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2007.
OEA. Convenção Americana de Direitos Humanos de 1969.
OLIVEIRA, J. A. Responsabilidade social em pequenas e médias empresas. Revista de Administração de Empresas, 1984.
ONU. Carta das Nações Unidas de 1945.
_____. Declaração sobre o Direito ao Desenvolvimento de 1986.
_____. Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948.
REZEK, Francisco. Direito internacional público – curso elementar. São Paulo: Saraiva, 1989.
ROSSETTI, José Cabral. Introdução à Economia. 20 ed. São Paulo: Atlas, 2006.
SANDRONI, Paulo. Dicionário de Economia do Século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2005.
SANTOS, Boaventura de Sousa. La globalización del derecho. los nuevos caminos de la regulación y la emancipación. Bogotá: ILSA, 1998.
SARMENTO, Daniel. Os princípios Constitucionais da liberdade e da autonomia privada. Revista Recampi Digital, 2006.
SAYEG, Ricardo Hasson; BALERA, Wagner. O Capitalismo Humanista: Filosofia Humanista de Direito Econômico. Petrópolis: KBR, 2011.
_____. Capitalismo Humanista no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 02.nov.2013.
SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Trad. Laura Teixeira Motta. 6ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
SMITH, Adam. Investigación sobre la Natureza y Causas de la Riqueza de las Naciones. México: Fundo Mexicano de Cultura, 1990.
SMITH, C. The new corporate philanthropy. Harvard Business Review, 72(3), 1994.
SÓLIO, Marlene Branca. Responsabilidade Social e sustentabilidade no contexto do século XXI. Disponível em: .
STIGLITZ, Joseph E. A Globalização e seus malefícios. 3 ed. São Paulo: Futura, 2002.
ULRICH, Beck. O que é globalização? Equívocos do globalismo: respostas à globalização. Tradução: André Carone. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
VENTURA, ELVIRA. Responsabilidade social das organizações: estudo de caso no Banco Central do Brasil. Dissertação (Mestrado em Administração). Escola Brasileira de Administração Pública/Fundação Getulio Vargas. Rio de Janeiro: Ebap/FGV, 1999.
Publicado
2015-12-29
Como Citar
RABELO, Carolina Gladyer. RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SISTEMA FINANCEIRO: INICIATIVA BRASILEIRA POR UM CAPITALISMO HUMANISTA. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 2, n. 16, p. 160-170, dec. 2015. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/292>. Acesso em: 22 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v2i16.292.

Palavras-chave

Responsabilidade Socioambiental; Brasil; Sistema Financeiro; Capitalismo