Novos modelos de Gestão, Qualificação e Escolaridade: um estudo de caso na Indústria de Auto-peças.

  • Giseli Novelli

Resumo

Nas últimas décadas, inúmeras transformações estão ocorrendo nos processos de trabalho, requisitando novas qualificações profissionais dos trabalhadores. A aquisição dessas novas qualificações está sendo atribuída, em parte, à escolarização da mão-de-obra. A partir dessa perspectiva, a relação entre educação e trabalho - tema central de análise deste artigo - adquire novas delimitações, que serão retratadas por meio de um estudo de campo em uma indústria de auto-peças, no interior paulista. As mudanças na organização da gestão do trabalho, ocorridas na empresa, caminharam em conjunto com a retomada dos estudos escolares pelos trabalhadores, principalmente daqueles diretamente ligados ao setor da produção.

Na empresa pesquisada, a garantia da qualidade de seus produtos depende do corpo coletivo de trabalho, sendo que todos os trabalhadores devem ter capacidade de falar, expor idéias, discutir em grupo e compreender novidades. Comunicação, portanto, torna-se requisito básico. Sobre estes aspectos, os trabalhadores da produção atribuíram ao processo de escolarização a possibilidade de manutenção de seus postos no mercado de trabalho e a melhora de seus relacionamentos pessoais, 1 tanto no ambiente de trabalho como fora dele, principalmente na família.

Ao estudarmos o campo e a literatura, percebemos que a empresa cria suas próprias formas de gestão e de qualificação do trabalhador. A escolarização, portanto, neste caso específico, atua na aquisição de conteúdos escolares úteis ao desenvolvimento do processo de produção e na socialização dos trabalhadores, apresentando a função de legitimar a organização das novas formas de gestão do trabalho.

##submission.authorBiography##

Giseli Novelli
Mestre em História e Filosofia da Educação. Professora das Faculdades Integradas "Campos Salles".

Referências

CARVALHO, R. Q. Capacitação Tecnológica, revalorização do trabalho e Educação. ln: FERRETI, Celso]. Novas Tecnologias, Trabalho e Educação : um debate multidisciplinar. Petrópolis: Vozes, 1994.
FLEURY, A Novas Tecnologias, Capacitação Tecnológica do trabalho: comparações entre o Modelo Japonês e o Brasileiro. ln: HIRATA, Helena S. (org). "Sobre o "Modelo]aponês": automatização, Novas Formas de Organização e de Relações de Trabalho. São Paulo : EDUSP, 1993.
FLEURY, A, HUMPHREY,]. (Coord.). Recursos Humanos e a Difusão e Adaptação de Novos Métodos para a Qualidade no Brasil. Texto para discússão sobre estudos desenvolvidos pelo IPEA-Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicada, São Paulo, 1993.
FOGAÇA, A., SALM, C. Educação e Formação de Mão-de-Obra : um projeto nacional. ln: FÓRUM NACIONAL: QUALIFICAÇÃO E COMPETITIVIDADE, 4, 1984. INAE- Instituto Nacional de Altos Estudos, 1994.
PAIVA, V Produção, Qualificação e Currículo. Educação e Sociedade, n.37, 1990.
SALERNO, M. Produção, Trabalho e Participação: CCQ e KANBAN numa nova imigração japonesa. ln: FLEURY, M.T.L., Fischer, R.M. (coords.). Processo e Relações de Trabalho. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1987.
SALVADOR, C. C. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
WOOD, S. Toyotismo e/ou Japonização. ln: HIRA TA, Helena S. (org.). Sobre o "Modelo Japonês": Automatização, Novas Formas de Organização e de Relações de Trabalho. São Paulo: EDUSP, 1993.
Como Citar
NOVELLI, Giseli. Novos modelos de Gestão, Qualificação e Escolaridade: um estudo de caso na Indústria de Auto-peças.. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 65-72, aug. 2012. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/65>. Acesso em: 23 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i1.65.