Dificuldades do ensino e da aprendizagem das Ciências no Século XX, desafios para os professores do Século XXI

  • Getúlio de Souza Nunes

Resumo

Configuram-se no presente texto algumas das principais dificuldades sempre presentes no Ensino de Ciências neste século, as quais advieram da manutenção - principalmente em âmbito escolar - de concepções assumidas no século XIX, que se tornaram tão resistentes pelo uso acrítico reiterado, que retardaram a compreensão dos avanços do conhecimento científico no curso do processo de ensino e de aprendizagem de Ciências. Tais concepções influíram, certamente, para o cultivo de UM ÚNICO MÉTODO CIENTÍFICO dotado de atributos supostamente rigorosos e verdadeiros, calcados na isenção do sujeito, na neutralidade da ciência, e em aspectos predominantemente quantitativos na abordagem de fatos ditos científicos, com base exclusivamente na comprovação de hipóteses em função da empiria. A visão de um sujeito isento/neutro e de uma ciência externa/neutra/quantitativa/empírica cultivou, ainda, dissociações de idéias que constituíram dicotomias, as quais, por sua vez, se tornaram características do século XX, tais como conteúdo-forma, teoria-prática, e que geraram, em contextos como o nosso, outras dicotomias, dentre as quais a referente ao pedagógico-específico na consideração do conhecimento/conteúdo de ensino, no curso da formação de professores e da abordagem/do desenvolvimento de prÓ~essos de ensino. As abordagens de cada comunicação especificam pontos e contrapontos de várias dessas relações cognitivas, de forma a ensejar o estabelecimento de relações compreensivas - tanto pela abrangência quanto pelo entendimento - de concepções, metodologias e abordagens do conhecimento científico a partir deste ano 2000, constituindo desafios para os Professores das Ciências no curso do século XXI.

##submission.authorBiography##

Getúlio de Souza Nunes
Doutorando em Educação do PPGE/UNIMEP e professor das Faculdades Integradas "Campos Salles". O presente trabalho foi desenvolvido no núcleo de Estudos em Educação em Ciências sob a orientação da Dra. Rosália M. Aragão e participação dos doutorandos : Heloisa Helena Oliveira, Lenir B. Zanon, Mara S. Cesário da Mota e Raquel C.D. Grecchi.

Referências

ARAGÃO, R.M.R.de. Ciência e Prática Pedagógica. Texto apresentado em Painel no IX ENDIPE, Águas de Lindóia, SP:l998.
CAPRA ,F. Ecologia Profunda, Um novo paradigma.In: Teia da Vida: A nova compreensão científica dos sistemas novos. São Paulo: Cultrix, 1997.
___. O Ponto de Mutação. A ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix, 1982.
CHALMERS, A F. O que é Ciência Afinal?. São Paulo: Brasiliense,l993.
CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1997.
LAKATOS, I. Falsification and the methodology of scientific research programmers. ln: LAKATOS MUSGRAVE, A (Ed) Criticism and the growth of knowledge. Cambridge: University Press, 1970.
MORIN, E. O desafio da complexidade. ln: Ciência com Consciência. Lisboa: Publicações Europa, América,1991.
PRIGOGYNE, I., O Fim das Certezas: Tempo, Caos e as Leis da Natureza. São Paulo: UNESP, 1996.
SANTOS, B. de S. Um discurso sobre as Ciências. 9 ed. Porto: Afrontamento, 1997.
TOULMIN, S. Human Understanding. Princeton: Princeton University Press,1972.
Como Citar
NUNES, Getúlio de Souza. Dificuldades do ensino e da aprendizagem das Ciências no Século XX, desafios para os professores do Século XXI. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 57-67, aug. 2012. ISSN 2316-3852. Disponível em: <https://fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/73>. Acesso em: 21 june 2021. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v2i1.73.